Dias perfeitos

Esse livro foi indicação da Cintia, do blog Panda reader’s, eu queria algo que me tirasse de uma ressaca literária, mas que ao mesmo tempo fosse O livro sabe e ela me indicou os livros do Raphael Montes.

Téo é um estudante de medicina solitário, a sua vida é cuidar da mãe paraplégica e estudar, sendo que a maior parte de seu estudo constitui em passar o tempo analisando cadáveres e todos os seus pormenores. 

Até que um dia, em um churrasco que ele não queria ir, Téo conhece Clarice, que com um jeito espontâneo, conquista o coração dele de uma forma arrebatadora. Ele faz de tudo para conhecer um pouco mais de sua amada rebelde, o primeiro passo é descobrir o endereço, o segundo é segui-la por alguns lugares e o terceiro é ir ate a casa dela para confessar todo o seu amor.

Tudo parece normal, ou pelo menos quase normal, até que Téo começa a realizar atos extremos para conseguir o que quer: Clarice somente para ele, que ela o ame assim como ele a ama; e então começamos a perceber que não existe amor, mas uma louca obsessão, que pode determinar o fim da vida dela e perigo para muitas outras pessoas.

Um chalé afastado de tudo e de todos é onde a historia começa, mas não é onde ela termina...

Gostei da forma como o Raphael Montes escreve, é fácil de ler, te prende do começo ao fim e faz com que você sinta a historia, ele criou um personagem metódico, que pensa antes de qualquer ação e cria significados e porquês para cada um de seus atos, capaz de criar historias mirabolantes que encaixam perfeitamente com a realidade, e isso foi muito interessante.

Mas achei a historia no geral muito inconsistente, na verdade, vi muitas falhas no caráter dos personagens que fazem parte do enredo, alguns não seguiam uma linha, simplesmente modificaram o seu modo de pensar para a historia toda fazer sentido e o final ser okay, apesar dos dois principais serem muito bem construídos.

Além disso, tudo simplesmente dava muito certo para o Téo, desde a viajem, no chalé distante da recepção, policiais, autorização para ficar em uma ilha proibida, apesar de ficar se movimentando, ele não teve nenhum empecilho, além de todos os problemas causados a Clarice terem um final bom, ele consegue estancar o sangue sem problemas, efetuar procedimentos cirúrgicos em mais de uma vez sem que ela fique fraca, muito pouco realístico para um livro que não é de fantasia.

Apesar disso, é um bom livro, consegui me distrair bastante e sair da ressaca literária, que era o objetivo, quero ler o outro livro do Raphael Montes e assim, tirar as minhas conclusões sobre o autor.

Sinopse: Dias Perfeitos - Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

Para comprar é só clicar em um dos links: AmericanasSubmarinoFNACLivraria da Travessa ou Livraria Cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário